Resenha: "A Cabana"

Resenha: "A Cabana"

24/07/2016 19:55

 

 

  Editora: Porto Editora

  Autor: Wm Paul Young

  Edição: (outubro 2013)

  Número de páginas: 248

 

 

 

 

 

Sobre o autor

O mais velho de quatro filhos, Young passou grande parte da sua infância na Papua-Nova Guiné, junto com seus pais missionários, numa comunidade tribal. Os membros da tribo vieram a tornar-se parte da sua família. Pagou os estudos religiosos trabalhando com DJ, salva-vidas e em diversos outros empregos temporários. Para além d’“A Cabana”, publicou ainda “A Travessia” e “Eva”.

 

A obra

Olá a todos!! :)

 

Eu sei que este livro não é muito o meu género literário, já que a espiritualidade está muito acentuada. Contudo, foi-me oferecido no meu aniversário e decidi arriscar, depois de já ter ouvido falar bastante sobre ele nos últimos tempos.

 

Foi uma experiência muito diferente, sem dúvida! O livro apresenta uma perspetiva de Deus completamente distinta daquela à qual estamos acostumados…

 

Resumindo, Mack perdeu a filha num acampamento, levada por um assassino em série. Anos depois, recebe um bilhete (supostamente de Deus) a convidá-lo a voltar à cabana onde foram encontradas as provas do assassinato.

 

Disposto a aventurar-se, dirige-se à cabana sozinho e tudo se transforma! Deus aparece-lhe de uma forma inesperada e, em vários episódios, Ele vai-se aproximando de Mack, explicando-lhe como algumas coisas “funcionam” de uma forma despretensiosa, ensinando-lhe o amor.

 

 

O início tem um pouco de suspense, mas nada de especial. Até ao final, prolonga-se a reflexão (e algum romance). Confesso que adorei a forma como a história foi desenvolvida e aproveitada! A escrita também foi do meu agrado, embora não me tenha identificado especialmente.

 

A leveza e a fluidez da leitura agradou-me imenso e deixou-me rendido! Em certos momentos, cerrava os dentes, noutros formava um sorriso, e até as lágrimas me afluíram aos olhos. Adorei! O final foi simplesmente… surpreendente!

 

Se queres ler este livro, prepara-te para a reflexão abstrata e aconselho muita calma para interpretar as diversas passagens mais “pesadas” nesse sentido.

 

Tenho pena de algumas inconsistências que encontrei! E de certos aspetos não estarem bem esclarecidos, alegando que não poderíamos saber tudo (e que aí é que residia a “magia”)…

 

 

Para quem acredita ou conhece a religião cristã, é uma experiência que vai abrir os seus horizontes e que põe em causa algumas “verdades” que muitos tomam como certas. É claro que não estou a dizer para usarem este livro como algo sagrado ou certo, como uma mensagem direta de Deus. Afirmo apenas que nos faz refletir, pensar “E por que não será assim?”.

 

Também para os outros é uma leitura válida, pelos motivos que já referi anteriormente! :) Ou seja, apreciei a leitura, embora não se tenha tornado dos meus favoritos (mesmo pelo género literário).

 

Quanto à próxima: "Viver depois de ti"! :) Já chegou da Porto Editora, e já vai antes da Caixinha do Correio!! ahah :)

 

 

Boas leituras!! ;)