Resenha: "Uma Coisa Absolutamente Incrível"

10/11/2018 20:53

 

 

  Editora: Topseller (2020)

  Autor: Hank Green

  Edição: 1

  Número de páginas: 320

 

 

 

 

Sobre o autor

Empresário, músico, vlogger, produtor (e irmão de John Green :P ), Hank pode agora dizer-se também autor. Especialmente dedicado ao mundo web, considera-se um eco-geek e um nerd assumido. E adivinhem o nome da sua mulher?? Katherine! Sim, como no livro do John.. #oteoremakatherine

 

A obra

Olá a todos!! :)

 

Sabem quando acabam de ler o livro e, mesmo sentindo-se frustrantemente desiludidos com o final, são obrigados a olhar para trás e a reconhecer que tudo o resto foi manifestamente brilhante? Pois é, foi isso que acabou de acontecer!

 

April May é uma rapariga nova-iorquina absolutamente normal, que tem de trabalhar dia e noite para pagar a dívida que lhe permitiu concluir o curso de Design. Até que, uma noite, uma pequena descoberta vira a sua vida (e, literalmente, a do mundo inteiro) do avesso…

 

É depois de mais uma noitada de trabalho que, deparando-se com uma gigantesca escultura metálica, April ligou ao seu amigo youtuber e protagonizou o novo vídeo do seu modesto canal, falando sobre aquela descoberta. O que ela não sabia era que, no dia seguinte, o mesmo seria lançado para os tops da Internet, após uma escultura exatamente igual aparecer em várias cidades importantes do mundo. 64, no total.

E tudo indica que April foi a responsável pelo Primeiro Contacto…

 

 

Não se ponham para aí a pensar que este é um livro de ficção científica sobre alienígenas e vida em outros planetas, algures no espaço. Porque, na realidade, este tema apenas serve de mote para chamar a atenção e dar forma a uma aventura fantástica, a qual, por sua vez, ainda dá lugar a uma reflexão profunda sobre os mais diversos temas, incluindo a fama e as redes sociais. (Como devem calcular, depois da grande polémica e alarmismo global, April tornou-se uma das pessoas mais famosas do mundo inteiro…)

 

Antes de mais, vamos às personagens absurdamente cativantes… Cada uma tem um traço que as define especialmente, pelo menos no campo relacional, mas (mesmo não sendo a maioria perfeitamente construídas, o que acho ser o único que erro que posso apontar) conseguem todas entrar na nossa memória e sentimento com uma facilidade admirável.

 

Até (e especialmente) a nossa protagonista. April é dos espíritos mais sinceros e bondosos com que me deparei numa leitura (do tipo impulsivo e por vezes descontrolado, que faz muitas asneiras mas que depois se arrepende logo – se não estiver demasiado casmurra; mas, ainda assim, muito próxima do leitor, sem dúvida). É verdadeiramente impossível ficarmos chateados com ela durante muito tempo e não nos rendermos de seguida à sua personalidade problemática e abertamente imperfeita.

 

 

E isso leva-me ao tópico seguinte: a escrita. Jovem, ritmada, e com muita emoção. Acima de tudo, uma narrativa bem conduzida, pela voz da protagonista, revelando um talento exímio no que toca à articulação de momentos de ação, sentimento, reflexão e delicioso humor. Mesmo no toque certo.

 

Mas não é apenas isso, bem como os pequenos dramas (e os grandes dilemas) de April, que nos levam a não largar o osso… :P Na verdade, toda a aventura e o mistério por trás dos Carls (nome dado ao famoso robô) foram guiados por meio de realidades absolutamente mirabolantes e criativas, que, nem por um momento, deixaram de servir para a reflexão desenvolvida sobre a humanidade…

 

Em suma… Foi uma ótima estreia para Hank Green! Na verdade, acho que seria boa ideia o jovem autor reforçar a sua segurança, não vá o irmão entender a dimensão do risco de ficar ofuscado por este novo talento… Só te digo isto, John: põe-te fino! XD

 

Boas leituras!! ;)

Tópico: Resenha: "Uma Coisa Absolutamente Incrível"

comentario

Data: 12/11/2018 | De: sara

oii tudo bem ?
parabens pela resenha o livro parece ser bem interessante e o livro e do irmão do John e fiquei curiosa mais confesso que nunca li nenhum dos dois então terei que ler pra conhecer pelo menos a do John quem sabe em breve eu leia :)

bjs

Quero ler!

Data: 12/11/2018 | De: Rosana Gutierrez

Oie
Esse livro está na minha pilha de leitura.
Eu já conhecia o Hank por conta do Nerdfighter.
A ideia do livro, pelo que li na sinopse e em sua ótima resenha, parece bem legal. E concordo que ele não pode ficar a sombra do irmão e se ofuscar.
;)

Preciso ler.

Data: 11/11/2018 | De: Vanessa

Olá! Eu li quase todos os livros do John Green e preciso ver com meu próprios olhos se o talento é de família, mas a princípio o livro me chamou a atenção sim.
Gostei bastante da sua resenha.

Comentário

Data: 11/11/2018 | De: Yara Guez

Oiê! Eu não sabia que o John tinha um irmão que também é autor. Que legal!
Os dois deveriam escrever um livro juntos, né?

A história não me chamou muito a atenção, mas que bom que apesar do final que você não gostou toda a leitura foi satisfatória.

Novo comentário